O novo amor de novo!

Estava pensando no quanto as pessoas buscam um novo amor. O cinema está cheio dessas buscas estereotipadas e que, na realidade, nunca acontecem. Se você olhar ao seu redor no trabalho, com certeza vai encontrar alguém que está sozinho, que comprou um gato e que está buscando uma pessoa para dividir qualquer coisa divisível: mas a sua vida não é divisível. Ela pode ser compartilhada, isso sim. Falamos na busca do amor perfeito, do amor de uma vida, do príncipe/princesa, da cara-metade (que cafona!). Mas hoje quero falar àqueles que já encontraram um amor. Um amor que pode estar meio desgastado, precisando de uma roupa nova ou de uma injeção de ânimo, um novo apaixonar-se, talvez.

Os amores têm que ser regados. Depois da conquista vem uma conquista ainda mais difícil, e esta é diária. Como fazer uma pessoa permanecer interessada em você por tanto tempo? Os mais jovens sempre me perguntam como alguns casamentos perduram por tanto tempo. Uma das respostas possíveis pode estar nesse novo apaixonar-se, na busca de um novo amor dentro daquele possível. Apaixonar-se pela mesma pessoa por diversas vezes. Conhecê-la, entrar em contato, permitir-se, respeitar os seus limites, impor os seus próprios limites e fazer uma forcinha. Não há amor que resista a uma acomodação. Os que se acomodam, com certeza, não falam mais em amor, mas em convivência, respeito, partilha comum, coisas que outras relações como a amizade também podem oferecer.

Da mesma forma que um príncipe encantado não vai bater à sua porta lhe oferecendo flores, a pessoa com quem você está se relacionando há um tempo não vai fazer juras de amor de uma hora para outra. O seu príncipe velho e cansado não vai pedir para renascer do nada e dizendo que você é a mulher mais encantadora (talvez nem tanto depois de tanta coisa…) do mundo. Assim, você pode regar essa relação e redescobrir dentro da sua própria casa um novo amor. Que tal olhá-lo de um modo diferente? Que tal inserir pequenas doses de afeto nessa sua relação? Vá agora cutucar o seu príncipe e o convide para um amor possível.

Boa sorte nessa sua empreitada!

Anúncios

Autor: Fabio Scorsolini-Comin

Psicólogo, mestre e doutor em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP). Atuo como professor universitário e, nas horas vagas ou não, tenho como companheira a literatura. Este blog se destina a interessados em literatura, Psicologia, comportamento e toda sorte de assuntos que rendam uma boa conversa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s