E onde está o amor, então?

E estamos de volta com mais uma dúvida que recebi esta semana. Um dos trechos do email me chamou bastante a atenção e quero compartilhar com vocês:

Onde eu entro na história? Quem me ama? Quem me da amor? Estou sozinha? Só eu estou namorando esse homem? Se eu te der exemplos, sem ter que ir muito longe, todos meu ex relacionamentos vi homens indo embora da minha vida, me deixando, não ligando mais, me esnobando….E eu permiti isso? Sim, permiti. O que eu fiz? Cadê ele? Por que se foi? Sabe… Eu já não suporto mais isso… Tem momentos que não quero mais pagar pra ver… Onde está o amor…? Eu mereço vê-lo na minha vida ou não?
amor.jpg_2Você não apenas merece ver o amor na sua vida, como merece vivê-lo em intensidade e em tudo o que ele pode te ensinar. Se um relacionamento não deu certo, é hora de parar e analisar. Faça o luto direito, entendas os porquês (os seus e os da outra pessoa), pondere, tente amadurecer com a experiência.

Pense pelo lado positivo: o fato de você estar se perguntando essa série de coisas já é importante e mostra que você está mobilizada no sentido da mudança. Mas essas reflexões também devem ir para a prática.

Amar-se, respeitar-se, desejar o melhor para si mesmo é algo que nos parece óbvio, mas nem sempre fazemos esse exercício rápido. Às vezes é mais fácil amar quem nem conhecemos direito (relembrem o caso do namoro pela internet) para não entrarmos em contato com as nossas coisas, aquelas que só a gente sabe que possui. Para amar é preciso tempo, abertura, disponibilidade, até quando esse amor se dirige única e exclusivamente para nós mesmos. Eu não posso (e nem deveria tentar) responder às suas questões, pois as respostas estão em você (isso não significa que as deva encontrar agora).

Nada de ansiedade neste momento. E também não fique se perguntando as coisas numa lógica unidirecional: por que eles se foram? Por que eles me deixaram? Por que eles nem se despediram? Não culpe seus ex-relacionamentos e nem a si mesma, exclusivamente. Pense no que pode fazer para mudar isso, comece o exercício sozinha e depois tente com os outros. Amor existe para ser experienciado, para ser vivido. Senão não é amor, é qualquer outra coisa da qual não queremos falar. Olhe para as suas mãos, o amor começa de perto, é só saber ler a mensagem da vez.

Beijos e ótimo fim de semana a todos!

Anúncios

Autor: Fabio Scorsolini-Comin

Psicólogo, mestre e doutor em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP). Atuo como professor universitário e, nas horas vagas ou não, tenho como companheira a literatura. Este blog se destina a interessados em literatura, Psicologia, comportamento e toda sorte de assuntos que rendam uma boa conversa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s