O próximo namoro é sempre o mais difícil

É bem verdade que eu passei bastante tempo pensando em uma pergunta que me enviaram por e-mail: “Quando terminamos um relacionamento, por que travamos no próximo?”. Primeiro, isso não é regra. Conheço gente que terminou um relacionamento de muitos anos em um dia, saiu com os amigos no dia seguinte, encontrou alguém legal, engatou um novo namoro e pouco tempo depois estava casada, com casa, comida e roupa lavada. Outras pessoas terminam um relacionamento e passam muito tempo sozinhas, ou por que não querem outra pessoa ou simplesmente porque não apareceu ninguém interessante. Você já se viu numa situação dessas?

A sua vida emocional tem que evoluir, amadurecer. Não faz mal a ninguém esperar pelo melhor, ainda que isso demore um pouco.

Uma coisa é fato. Quando a gente namora por um tempo e se entrega (de verdade), tende a criar expectativas que a outra pessoa também se entregue de uma forma semelhante ou equivalente. E como ninguém ama igual ou sente a mesma coisa ou na mesma intensidade (não tem como regular isso no ser humano), os relacionamentos podem chegar ao fim. E se você ficou achando que se doou mais ou que se entregou mais, pode tentar ser o oposto em outro relacionamento. Ou então pode tentar encontrar alguém que esteja disposto a se entregar mais do que você. E o que a gente quer nem sempre é alguém que nos ame “mais” ou “menos”.

Outro ponto é que a pausa para a reflexão deve existir (ao menos que a reflexão já estivesse concluída mesmo sem o namoro ter terminado). Não apenas “o defunto precisa esfriar”, como você tem que se perceber melhor, tem que fazer o luto (não importa quem golpeou quem na relação, ou mesmo se foi uma decisão “dos dois”), tem que saber o que fica e o que sai com o fim do namoro. O que aprendeu de bom? O que foi ruim? Como é a pessoa que você é agora, depois de tudo isso? O problema é que responder a isso nem sempre é fácil e rápido. Por mais que a vida contemporânea nos cobre reações rápidas, extremas e autênticas, cada um possui um tempo só seu. Não encane se você está demorando a namorar de novo. Vá no seu tempo, respeite seus sentimentos, seus valores e, principalmente, a sua história. Você não é net discada para travar. Mas desejo que, mais dia, menos dia, a banda larga apareça e lhe mostre possibilidades várias de downloads afetivos em sua vida!

Enquanto isso, siga-me: http://twitter.com/scorsolinoff

Beijos!

Anúncios

Autor: Fabio Scorsolini-Comin

Psicólogo, mestre e doutor em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP). Atuo como professor universitário e, nas horas vagas ou não, tenho como companheira a literatura. Este blog se destina a interessados em literatura, Psicologia, comportamento e toda sorte de assuntos que rendam uma boa conversa.

8 comentários em “O próximo namoro é sempre o mais difícil”

  1. Querido, vc é fantástico.
    Nós nos cobramos demais… queremos demais que as coisas aconteçam, que todos os dias sejam sempre brilhantes, mas como disse Almir Sater: “é preciso chuva para florir”. E citando mais outro: “é necessário que o dia se vá para que o outro amanheça”… Ou seja, precisamos terminar uma etapa dentro de nós pra que outra se inicie, não importa se isso acontecerá amanhã ou daqui a algum tempo por que, para o coração, não existe relógio com horas, minutos e segundos marcados num ponteiro. não existe essa exatidão…
    beijo grande.

    1. André, obrigado pelo incentivo de sempre!
      Terminar etapas e fazer o luto por elas é algo complicado, mas fazemos isso sempre, quando mudamos de namoro, de casa, de trabalho, de planos para a nossa vida! Realmente, se a gente não faz um processo de internalização, de recolhimento e de reflexão, a gente tende “a não resolver o problema” e partir para o próximo relacionamento com o mesmo pensamento e com os mesmos dramas. Quase sempre dá errado. Então, concordo com você. Por mais que a chuva seja intensa, irá florir. Ter paciência é uma forma de sabedoria, mas isso vem só com a idade…
      Beijão!

    1. Trovó, não fique assim! Tudo que chega ao fim é para que algo novo aconteça. Não se foque no fim, e sim no que vai começar, nas novas possibilidades! Isso pode ser muito excitante!
      Beijão.

  2. Fabito,
    Seus posts estão super inspirados em mim hein!! rs.
    Que bom que cada um tem um ritmo diferente porque faz um século que terminei meu namoro e me dá calafrios só de pensar em namorar de novo.
    Não sei se ando servindo pra ser namorada de alguém. Qualquer sinal de “grude” que aparece já me faz sumir do mapa. Sem contar que eu sempre fui o lado ruim da relação, quase não demonstro meus sentimentos (você já deve ter percebido isso) e acabo passando uma imagem de que não estou nem aí pra pessoa.
    Acho que estou precisando de aulas de relacionamentos humanos, estou muito má ultimamente. rs
    Beijos.
    ps. Comentei no post sobre namorar ou não também.. hehe

    1. Aline!
      A inspiração vem de todos os lados, rs! Vamos mudar a forma de pensar: na fase em que você está vivendo, você não está tão interessada em ter alguém, o que faz com que você não se esforce para ser “a namorada”. Daí, uem quer uma coisa mais séria, acaba não tendo chances com você, é isso. Mas isso é da fase em que você está e isso pode se alterar a qualquer momento, dependendo das suas prioridades. O importante é aproveitar, curtir, sentir-se bem com o que você tem feito e, mais dia, menos dia, outras coisas podem acontecer, se você permitir. As pessoas só entram em nossas vidas quando a gente permite (ainda que diga que não).
      Beijos e boa sorte!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s