“Eu só atraio loucos para a minha vida!”

Você está desencanada e decidida a não ter nada sério com ninguém e ponto. Você está direcionada aos estudos, às festas da faculdade e a qualquer coisa que tenha um cheiro de descompromisso. Mas daí, como você é bonita e está sozinha, começam naturalmente a surgir os pretendentes. Tudo bem ser requisitada, isso faz bem para o seu ego e te deixa com a certeza de que quando quiser haverá os interessados. O problema é justamente com as pessoas que estão investindo em você: 1. O cara surtou e está tentando conseguir o seu telefone com vizinhos, pelo orkut ou até se passando por um vendedor de cartão de crédito para a sua mãe?; 2. Ele a persegue na volta da faculdade e acaba te achando até nos seus esconderijos?; 3. Ele diz que te ama e que quer ter filhos, mas nunca se aproximou da sua boca?; 4. Ele diz que quer coisa séria e some, do nada?; 5. Ele tem mania de limpeza e fica espanando a sua blusa?; 6. Ele faz desenhos seus, espalha-os pelo quarto e sai rabiscando quando sente raiva?; 7. Você desconfia que ele tenha uma vida dupla, tripla ou sei lá o quê?; 8. O cara vai ficar com você e começa a falar de todos os problemas da vida dele, sem parar? Você consultou o DSM-IV (catálogo internacional de doenças mentais) e ele se encaixa em quase tudo? Hum, você pode estar atraindo um “louco” para a sua vida.

A "loucura" está tanto dentro de nós quanto fora: nas pessoas, nas coisas, nos relacionamentos, no mundo e, principalmente, no modo como nos colocamos diante disso e lidamos com nossos lados mais sombrios e menos lineares.

E por que isso acontece? Às vezes a gente tem um certo padrão de pessoa que atraímos para a nossa vida, mas isso tem mais a ver com a gente do que com o outro. Talvez você esteja precisando desses “loucos” na sua vida para te mostrarem algo importante sobre você mesma. Há fases em que buscamos verdadeiras “encrencas” para nos relacionar. Essas pessoas geralmente tiram nosso chão, nos fazem perder o controle, exigem de nós uma atitude bem diferente da que temos, enfim, pedem que mudemos, nos transformam naquilo que não somos.

O diferente nos chama a atenção, desperta os nossos desejos, nos torna pessoas apaixonadas (o termo paixão, em sua origem, significa patologia, ou seja, doença), faz com que busquemos nosso oposto com todo afinco. Isso geralmente ocorre quando a gente está com a autoestima baixa, quando acabamos nos identificando não com aquilo que nos faz bem, mas com aquilo que é oposto ao que somos, pois estamos querendo romper com a nossa própria imagem – com a qual não estamos satisfeitos. E daí, dá-lhe “loucura” para todo lado. Sendo assim, saiba separar o que é seu e o que é do outro e não se admire se o “diferente” a atrair para outras experiências. Só tente mudar de uma forma mais saudável, entrando em contato com as coisas que a constituem, sem ter que se esconder dos candidatos, dos loucos ou de si mesma.

Beijos e um ótimo meio de semana!

Anúncios

Autor: Fabio Scorsolini-Comin

Psicólogo, mestre e doutor em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP). Atuo como professor universitário e, nas horas vagas ou não, tenho como companheira a literatura. Este blog se destina a interessados em literatura, Psicologia, comportamento e toda sorte de assuntos que rendam uma boa conversa.

11 comentários em ““Eu só atraio loucos para a minha vida!””

  1. Concordo, Fabito!! Eu acho que a gente PROCURA aquilo q a gente atrai… Os loucos não aparecem na nossa vida a toa rs E geralmente é por causa de algum conflito interno. Dá-lhe terapia!

    1. É, tem fases em que a gente não consegue romper as amarras e acaba se ligando a quem não nos faz bem. E a terapia acaba ajudando muito para a que tenhamos relacionamentos mais saudáveis e a gente aprenda a se respeitar, né? Senti sua falta ontem na aula para comentarmos!!!
      Beijos!

  2. Fabito,
    Ri demais quando li o assunto de hoje, principalmente no começo do post. rsrs.
    Ooo fase maluca da nossa vida essa não é? Mas ainda bem que é só uma fase que deixa inúmeras histórias engraçadíssimas pra animar as conversas de barzinho, caronas, aulas chatas, entre outros. :p
    Já estava com saudades dos seus posts. hehe
    Beijos

    1. Ai, Aline, quando passamos por mas situações dessas a gente fica tenso, mas depois acaba entendo que há um sentido e as coisas acabam mudando, pois a gente muda, assim como os nossos padrões de relacionamentos. Não dá para procurar gente problemática a vida inteira, né? Beijão!

  3. Tenho que confessar…quando eu estou a fim, eu me transformo nesse tipo de ´´louco“ aí…hehehe
    e para flar a verdade, também gosto quando aparecem esse tipo de loucas na minha vida…

    1. Uhuu, Nicholas, loucura, loucura, loucura! Rs! É, tem que investir quando está a fim mesmo (mas sem loucura, rs!). Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s