O que o tempo sabe é passar…

Nunca gostei de olhar para relógios, eles sempre nos lembram de algo que estamos por esquecer. Há uma hora na vida que começamos a perceber o tempo e isso em nada tem a ver com a idade que se tem. Há pessoas que passam a vida inteira sem ao menos perceber, sem entrar em contato, sem saber que vivemos de transitoriedades.  Uma hora o tempo acaba nos advertindo, como se batesse à porta da frente, como diz uma música de Aldir Blanc, lindamente interpretada pela Nana Caymmi. E aí, mesmo que não abramos a porta, o tempo consegue atravessá-la e nos indagar, olhando nos olhos. O tempo existe para que possa nos lembrar que somos limitados e que não adianta teimar, ele vai chegar, nos suspender e nos fazer reféns de nossas próprias dores e nossa própria salvação.

Não adianta fugir do tempo e nem de nós mesmos, de tudo aquilo que vivemos e, por isso mesmo, é nosso. Um amor que está no passado não pode ser enterrado como quem muda de nome. Uma dor não sossega com band-aid, mas com tratamento, com coragem, com cuidados e com tempo. Podemos mudar de nome, mas jamais assumiremos uma identidade inventada, por mais que queiramos. O filme “Abraços Partidos”, de Almodóvar, nos mostra um homem que passa a viver com um pseudônimo, como se pudesse ser outro em uma mesma vida. Não, não podemos. Não é possível apagar nada do que se passou, não é possível editar nossa história como quem cola fotos rasgadas e remenda falas que pareciam sem sentido. Nossa vida é um filme corrido, sem intervalos, sem pausas para lanche, com um fim mais do previsível, mas que ainda nos assola (tanto quanto o tempo).

Sendo assim, é mais justo entrar em contato, apalpar nossos problemas como quem tenta resolver um cubo mágico, usando as próprias mãos. Como qualquer desafio, é preciso tempo para descobrir aquilo que o soluciona, a resposta, a manha, o segredo, a mágica da brincadeira. É preciso olhar o tempo como aquele que nos leva algumas lembranças e por isso mesmo nos possibilita o dia seguinte, nos dá a chance de fazer diferente. Tudo a seu tempo é uma expressão que veste bem este post. Voltando à música do início, concordo com um amigo que me escreveu dizendo que o que mais devemos invejar no tempo é que ele sabe passar e a gente não. Sofrer, então? Não por isso. Hoje é segunda-feira, dia 14, faz frio no hemisfério sul, amanhã é 15, depois de amanhã é quarta e o amor não tem compromisso algum com relógios e calendários. A mágica é justamente essa, “saber” passar.

Uma ótima semana a todos!

Anúncios

Autor: Fabio Scorsolini-Comin

Psicólogo, mestre e doutor em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP). Atuo como professor universitário e, nas horas vagas ou não, tenho como companheira a literatura. Este blog se destina a interessados em literatura, Psicologia, comportamento e toda sorte de assuntos que rendam uma boa conversa.

17 comentários em “O que o tempo sabe é passar…”

  1. Fabito, que lindo esse post! Tudo o que eu precisava ler em uma segunda-feira, começo de uma longa e cansativa semana.
    É muito curioso perceber como tudo se assenta com o passar do tempo. Feridas, mágoas e situações mal resolvidas.
    O tempo é realmente a cura para quase todos os problemas e um dos diagnósticos mais recomendados por aqueles que compreendem bem o seu significado, a sua importância.
    “Saber” passar é o que devemos fazer. E ainda que tudo passe rápido demais, há as lembranças, que permanecem, por não serem transitórias como o tempo.

    Ótima semana para você também!

    Beijos,

    Mari

    1. Oi, Mari, bom dia! Eesta semana vai “passar” rápido, pode ter certeza! Temos que jogar sempre no time do tempo, senão a gente acaba indo pela contramão das coisas. Se há uma coisa que não podemos mudar é o tempo, então precisamos aprender o máximo com ele. As cicatrizes permanecem para nos mostrar que não podemos apagar as feridas, mas sim conviver com elas, superá-las, irmos além.
      Beijo grande!

  2. Fábio,

    Agradeço que esse tempo, que me dá medo, tenha passado e assim pude conhecer seu blog e as coisas que você escreve. Tudo tem seus dois lados, e a dor faz a gente enxergar outras coisas. A segunda hoje começou dificil. Mas tudo cura o tempo.
    Obrigado por sua amizade.

    1. Sim, André, o temppo cura tudo, a gente só precisa dar uma mãozinha para ele.
      Tenha uma ótima semana, mude o ritmo e se permita!
      Obrigado por sempre ler o blog!

  3. “Não adianta fugir do tempo e nem de nós mesmos, de tudo aquilo que vivemos e, por isso mesmo, é nosso. Um amor que está no passado não pode ser enterrado como quem muda de nome. Uma dor não sossega com band-aid, mas com tratamento, com coragem, com cuidados e com tempo.”
    Perfeito para mim
    Muito bom o texto….

  4. Ai Fabito, que lindo post!!
    Só você pra conseguir acalmar minha segunda-feira super corrida.. Pra fazer com que eu pare e aprecie as coisas boas que acontecem ao meu redor. 🙂
    Ultimamente o tempo está “voando” e eu precisava de um “stop” desses pra curtir esse momento e aproveitar, pois logo logo o tempo passa e ficam as lembranças (espero que boas) de cada momento que vivi.
    E realmente podemos fugir de muita coisa, mas não do tempo nem de nós mesmos! Quantas vezes já não tentei inventar novas lembranças na esperança de apagar algo ruim da memória.. Quantas vezes não desejamos voltar no tempo e não tomar aquela atitude precipitada que afastou aquela pessoa especial.. Mas ficar lamentando pelo tempo que já passou só nos faz perder o tempo que temos de ficar juntos com as pessoas que nos são especiais agora…
    Nossa.. É muito tempo pra uma pessoa só!! rs.
    Acho que só não tem tempo quem não se permite viver intensamente cada segundo que passa, quem não se permite escapar um pouquinho do cronograma e viver uma loucura num dia normal.. Afinal, eu prefiro muito mais me arrepender de algo que fiz a me arrepender de algo que deixei de fazer.. O tempo passa depressa então por que deixar pra fazer amanhã o que posso fazer hoje?
    Beijos,

    1. Aline!!!
      Você sintetizou tudo! Apesar da pouca idade, já tem muitas experiências e lembranças para guardar. Não podemos deixar que o corre-corre do dia-a-dia nos afaste das coisas boas, das coisas que estão acontecendo conosco neste exato momento. Então, é importante aproveitar, ainda que isso signifique desescanar um pouco da normalidade e se permitir certas coisas! Tantas coisas acontecendo hoje… é só saber olhar! Temos que nos disciplinar para não esquecermos disso.
      Beijão e ótima semana!

  5. Fábio,

    Não sei se segue muito o tom do post, mas essa coisa de ‘saber passar’ me faz pensar em leveza. Tudo bem que a gente sente as marcas deixadas pelo tempo, mas acredito que elas foram feitas com leveza e não com peso, mais pela insistência do que pela força. O tempo nos modela com disciplina, e não pelo rigor. Tanto é que para se sentir velho a pessoa nem precisa ter mais que 15 anos.

    Pra mim, saber passar é saber encarar a vida com leveza. E quantas vezes não somos, não é? A gente vem com unhas e dentes mostrando a que viemos, como se, o tempo todo, tivéssemos que provar quem somos e daí so conseguimos ser ‘estorvo’, uma cristaleira velha no meio da sala.

    Saber passar é se tornar leve para deixar o tempo [e a vida] levar.

    beijos

    1. Ai, Dai,
      gostei da metáfora da cristaleira velha na sala. Se a gente não entende o tempo com a leveza necessária, acabamos pesando e virando um depositário de coisas que não nos ajudam em nada, né? Melhor ser uma cristaleira de coisas preciosas, mas que são acessíveis, que embelezam e que nos fazem ver o tempo como uma joia. Melhor assim.
      Beijos e saudades! Adoro tudo o que você escreve!

  6. Olá, muito bom o seu texto. E realmente, as vezes a gente dai na real que o tempo está passando, e com um gesto coberto de ansiedade, a gente tenta “fazer parar” esse tempo de alguma forma, afinal, esse caminhar do tempo assusta, e muito … O jeito é aproveitar ao máximo cada momento como se fosse o último, se alguém conseguir, me ensine!
    Continue postando sempre.. Abraço!

    1. Oi, Cléber, muito obrigado pela sua participação aqui! Pode deixar que eu estou escrevendo toda semana! Abraços!

  7. Fabito

    MEu primeiro comentário no BLog, haha, adorei esse post, realmente o tempo é fundamental pra tudo, saber levar as coisas conforme vão acontecendo e dar a imrpotância e aproveita o processo são essenciais para gente se conhecer melhor e viver mais alegre e de bem com a vida.

    Abração

    1. Dieguito!!!!
      Participe mais vezes! Como você está? Estou com saudades! Abraços e tudo de melhor para você!

  8. Olá Fabito!!
    Já estou com saudades!!
    Sobre o tempo… com o pézinho nos trinta, é melhor nem comentar… 🙂
    Adorei o posto!
    Bjs

    1. Então vamos abafar oo caso, Rainha!!! Rs!
      Saudades também!!!!
      Estou pensando em retomar aquele nosso artigo, o que acha?
      Beijos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s