A gente escolhe para além das eleições

As eleições são um momento que não tem a ver apenas com política. Tem a ver com posicionamentos e ativa a nossa própria capacidade de confiar, de vestir a camisa e de discutir nossas ideias. Se você não se identifica com calorosos debates, tudo bem. Mas pode refletir a respeito das propostas e de como elas podem impactar a sua, a minha, a nossa vida. As eleições são marcos em nossa sociedade, de uma democracia que ainda não sabe muito bem o que isso significa e de uma oportunidade para conhecermos mais sobre nós mesmos.

Nessas eleições, duas mulheres disputaram a presidência de um país no qual ainda as mulheres são discriminadas, não ganham o mesmo que seus pares do sexo oposto e ainda são violentadas covardemente por seus companheiros. Embora mudar essa realidade seja uma questão de tempo, de políticas públicas e de amadurecimento social, as eleições já mostraram um movimento interessante no qual as mulheres conquistaram espaço e se fizeram ouvir. Infelizmente, é também uma mulher, companheira do candidato Roriz que agora irá para o segundo turno do governo do Distrito Federal, apenas cumprindo um papel “exclusivo” ainda não superado de “mãe”, “mulher” e “esposa”. Em um país múltiplo como o nosso, há também espaço para a mulher que pode chegar ao poder apenas como um boneco manipulado pelo marido. Seja qual for a cor da onda que vá assolar o nosso país, podemos aprender sempre mais sobre nós mesmos quando votamos.

Eleições não são apenas eleições (um ou dois dias a cada dois anos), mas abrem também a oportunidade para que dosemos as nossas escolhas, sempre entendendo que elas têm um peso e este não se dilui no coletivo, mas incide em cada um dos passos que damos, juntos ou isoladamente. Escolher é fundamental para que nos sintamos livres. Mas, infelizmente, nem sempre as nossas escolhas nos encaminham para a liberdade que tanto almejamos (não só nas eleições).

Outubro pode começar como um mudança ou apenas como mais do mesmo. A decisão é minha, é sua, é de todos nós. A decisão é para a minha, a sua, a nossa vida. Por isso é tão importante aprendermos a escolher.

Beijos a todos, seja qual for a cor da sua onda.

Fabio.

Anúncios

Autor: Fabio Scorsolini-Comin

Psicólogo, mestre e doutor em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP). Atuo como professor universitário e, nas horas vagas ou não, tenho como companheira a literatura. Este blog se destina a interessados em literatura, Psicologia, comportamento e toda sorte de assuntos que rendam uma boa conversa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s