Como dizer “aquela verdade” que precisa ser dita

E você de repente se sente tentada a “abrir as lamparinas do juízo” da sua amiga que está aparentemente “entrando em uma roubada” com o novo namorado. Como conversar a respeito disso sem perder a amizade? O primeiro passo é a gente ter certeza e convicção do que está dizendo. E isso passa tanto por ter dados concretos a respeito como pela certeza que tem de que essa conversa é mesmo necessária à ela, para você e para a relação de vocês. Dizer aquilo “que precisa ser dito” a alguém é tão complexo que podemos afastar as pessoas, sermos interpretados como ciumentos ou como quem não deseja a felicidade do outro. Então se concentre apenas naquilo que deve necessariamente ser dito (uma necessidade sua ou uma necessidade do outro de ouvir aquilo).

Voltando a esse exemplo da sua amiga, primeiro é preciso saber por que você acha que ele não é uma boa pessoa para ela. E daí vão algumas considerações. O que ele tem de tão ruim? O que ele tem de tão ameaçador? Em que ele te ameaça? Por que será que a sua amiga já não sabe disso? Na verdade, o seu receio talvez já tenha sido percebido por ela e ela não tenha as lamparinas tão fechadas assim. Muitas vezes, temos a ilusão de sermos a única pessoa esclarecida para perceber esses movimentos todos, mas não somos. Inclusive, as lamparinas que devem ser despertadas podem ser, inclusive, as nossas. O problema pode não estar na relação dela e do namorado, mas no modo como você está se colocando nisso. Quanto do teu receio não diz respeito somente à sua própria vida, sua própria experiência, seu próprio medo de ser enganada?

Ao tentarmos proteger o outro, podemos deixar nosso próprio afeto descoberto. E ao tentarmos dizer aquilo que achamos importante para o outro, podemos estar deixando de lado aquilo que precisamos ouvir. Aprender a conversar passa pelo aprender a ouvir suas demandas e destacar nelas aquilo que realmente irá promover no outro um desenvolvimento, uma melhora ou um outro ponto de vista. Conversar é também buscar esses pontos.

Beijos a todos,

Fabio.

Anúncios

Autor: Fabio Scorsolini-Comin

Psicólogo, mestre e doutor em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP). Atuo como professor universitário e, nas horas vagas ou não, tenho como companheira a literatura. Este blog se destina a interessados em literatura, Psicologia, comportamento e toda sorte de assuntos que rendam uma boa conversa.

2 comentários em “Como dizer “aquela verdade” que precisa ser dita”

  1. oii prof…. que bom que esta de voulta!!senti falta kk 🙂
    eu ja vivenciei essa realidade mais graças a Deus correu tudo bem :)é consegui ayudar a minha amiga da melhor maneira possivel …

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s