Trabalhando nas férias (dos outros)

Este texto é dedicado àqueles que vão trabalhar enquanto a maioria das outras pessoas estarão de férias. E não é dedicado apenas àqueles que não estão de férias porque “sim”, mas também àqueles que trabalham, fundamentalmente, durante o período em que o restante dos mamíferos estão aproveitando o sol, a praia e os prazeres do bom viver. Para quem vai trabalhar no período universal da preguiça, essencial mesmo é não ligar para isso. As férias, o descanso e o trabalho, assim como a própria vida, são organizados em ciclos, de modo que agora pode ser a sua vez e daqui a seis meses, não mais. Isso para o lado bom e para o lado não tão bom assim. Trabalhar é crucial nesse processo todo. Vamos lá, mãos à obra!

Para começar, você precisa de foco (repita comigo, três vezes). Precisa saber por que está trabalhando, e não apenas porque não está de férias. Não vale dizer que suas férias vencem em outubro ou que vive de artesanato na praia, então esta é a época mais rentável. Tem que saber o sentido de estar trabalhando. Para além do dinheiro, OK? Depois disso, veja nesse trabalho uma possibilidade de dar sentido a diversas coisas na sua vida, uma forma de se alegrar, de produzir mais, com determinação. Muitas boas ideias surgem nesse período (assim como no restante do ano), muitas demandas podem ser levantadas (assim como no restante do ano), muitas conquistas podem começar agora (assim como no restante do ano). Sendo assim, a dica é simples: dedique-se ao trabalho, ao aprendizado e à inovação, independente do tempo, do mês, do dia, do ano. Assim, quando chegarem as suas férias, de fato, você poderá aproveitá-las com mais entusiamo. E daí eu publicarei um post sobre o foco nas férias e o significado das mesmas em nossas vidas! Repita comigo: foco, foco, foco. Pare de ler o blog e arranje o seu foco! Risos.

Abraços,

Fabio.

Anúncios

Autor: Fabio Scorsolini-Comin

Psicólogo, mestre e doutor em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP). Atuo como professor universitário e, nas horas vagas ou não, tenho como companheira a literatura. Este blog se destina a interessados em literatura, Psicologia, comportamento e toda sorte de assuntos que rendam uma boa conversa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s